Prefeitura de Paço promove grande ato de combate a exploração sexual

A prefeitura de Paço do Lumiar organizou uma grande caminhada que aconteceu na tarde desta quarta-feira, 18 de Maio, Dia Nacional do Combate ao Abuso e à Exploração Sexual Contra a Criança e o Adolescente, a data remete ao caso da pequena Araceli Sanchez que foi violentada e brutalmente assassinada a 22 anos atrás por jovens de classe média alta na cidade de Vitória do Espírito Santo.

A campanha é realizada nacionalmente para proteger crianças e adolescentes que sofrem abuso ou violência sexual, muitas vezes, em silêncio. Em Paço do Lumiar, a população foi às ruas para dizer NÃO a esse grave problema social com uma caminhada que partiu da Secretaria Municipal de Saúde-SEMUS, até a Praça da Família, na Avenida 13 do Maiobão.

O evento organizado pela Secretaria Municipal de Desenvolvimento Social-SEMDES, em parceria com a Secretaria Municipal de Educação-SEMED, trouxe o tema: “Esquecer é Permitir, Lembrar é Combater. Faça Bonito, Proteja Nossas Crianças e Adolescentes” e contou com interpretações teatrais e dança apresentadas pelas crianças do Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos(SCFV) da Vila Cafeteira. O time da Escolinha de Futebol Menino Bom de Bola, da Pindoba, também marcou presença para mobilizar a população a não se calar e denunciar o abuso e a exploração sexual contra crianças e adolescentes, também participaram servidores municipais, lideranças políticas e moradores da região.

A prefeita de Paço do Lumiar, Paula Azevedo(PCdoB), falou sobre a importância da caminhada: “Quando nós vamos às ruas falar sobre esse assunto tão sério, nós estamos dando uma chance para quem sofre calado e mostramos que eles têm amparo do poder público através dos nossos serviços de atendimento social”, destacou.

A Secretária Municipal de Desenvolvimento Social de Paço do Lumiar, Elizabeth Diniz destacou a importância da denúncia:

“Quando nós denunciamos, estamos salvando vidas, vale dizer também que esse serviço é gratuito e não precisa se identificar, basta entrar em contato que nós iremos atender”, explicou.

O telefone para denúncias de crimes de violação contra os direitos humanos é o DISQUE 100. Não se cale, denuncie!!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.