Nova pesquisa que aponta liderança de Brandão apresenta enxerto e inconsistências

Tela principal informada ao TSE, onde Santa Inês aparece duas vezes, por exemplo.

Pesquisa de intenção de voto para o Governo do Maranhão, realizada pela MBO Publicidade, Marketing e Pesquisa, e que aponta liderança do ainda vice-governador Carlos Brandão (PSB), apresenta inconsistências e enxerto referente ao número de entrevistados informado ao Tribunal Superior Eleitoral.

Na tela principal do registro do levantamento informado ao TSE, consta que foram ouvidos 2.000 eleitores.

No entanto, na tela em anexo, é possível constatar repetição de nomes de municípios e aumento do número de eleitores consultados.

A cidade de Santa Inês, por exemplo, é citada duas vezes, totalizando um número de 80 pessoas consultadas, quando, na verdade, deveria ser apenas 40.

Na capital São Luís, a tela principal aponta entrevistas com 200 pessoas.

Já na tela em anexo, este número sobe para 250.

Em São José de Ribamar, na região metropolitana, foram enxertadas dez entrevistas a mais, se comparadas as duas telas.

Em Timon, a tela principal apresenta 85 entrevistas, sendo que a anexada aponta 100.

Tela do levantamento em anexo.

Na semana passada, vale relembrar, a juíza Camilla Rose Ewerton Ferro Ramos, integrante titular do Tribunal Regional Eleitoral do Maranhão (TRE/MA), impugnou pesquisa de intenção de voto, realizada pela empresa JPesquisa, do grupo do Jornal Pequeno, cujos números apontavam liderança de Brandão.

A sentença atendeu representação protocolado pelo diretório estadual do Partido Democrático Trabalhista, que apontou uma série de irregularidades, tais como: incompatibilidade das informações prestadas a título de quantidade de pessoas entrevistadas expostas no detalhamento da área (municípios e regiões) em que realizada a pesquisa – tamanho da amostra -, com o que efetivamente consta no Plano Amostral, em ofensa direta ao inciso IV do art. 2º da Resolução TSE nº 23.600/2019; comprometimento do resultado da pesquisa dado o desequilíbrio na quantidade de pessoas ouvidas por região; insuficiência das informações constantes acerca do sistema interno de controle e verificação, conferencia e fiscalização da coleta de dados.

O levantamento da MBO foi registrado na Justiça Eleitoral com o número MA04312/2022.

O editor deixa o espaço aberto para que a empresa, caso queira, se manifeste sobre o caso.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.