CPI do ferry-boat se torna uma realidade na Assembleia Legislativa do Maranhão

Uma Comissão Parlamentar de Inquérito para apurar possíveis irregularidades diversas no serviço de travessia do ferry-boat, que serve moradores de São Luís e de municípios da Baixada, pode ser instalada na Assembleia Legislativa em breve.

Autor da proposta, o deputado estadual Wellington do Curso (PSC), durante sessão especial realizada ontem, na qual foram tratados assuntos relacionados ao setor, confirmou que já possui dez assinaturas favoráveis à CPI.

Para ser instalada, a Comissão precisa de 14 assinaturas, cenário que é perfeitamente cabível de ser alcançado no parlamento.

Na referida sessão especial, proposta por Neto Evangelista (União Brasil) e que reuniu representantes do Governo do Estado, Capitania dos Portos, Ministério Público e segmentos da sociedade que estão indignados com o péssimo serviço prestado pelo setor, que é de responsabilidade do Palácio dos Leões, a promotora de Justiça de Defesa do Consumidor, Litia Cavalcanti, fez revelações comprometedoras.

Ela lançou dúvidas, por exemplo, acerca da legalidade da contratação, por parte do Governo de Carlos Brandão, de uma empresa responsável pelo ferry-boat José Humberto, do estado do Pará.

A embarcação, que possui idade de 35 anos e que foi anunciada semana, com um ferry novo e de alto padrão, pertence a empresa Rebelo Indústria, Comércio e Navegação Ltda. (REICON).

Segundo a promotora, o referido grupo empresarial, ano passado, tentou assumir um lote para prestação de serviço aquaviário no Estado, não obtendo êxito.

No entanto, curiosamente, foi contratada precariamente pelo Governo no fim do mês de abril para reforçar o trabalho da travessia entre a capital e o Cujupe.

Litia também criticou as intervenções promovidas pelas gestões de Brandão e Flávio Dino na Servi Porto Serviços Portuários LTDA, pioneira no serviço de ferry-boat no Maranhão.

De acordo com ela, o mal gerenciamento fez com que a empresa quebrasse financeiramente, além de ter piorado a prestação do serviço oferecido aos usuários do sistema.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.