Justiça já havia determinado que Governo tomasse providências em relação a Lagoa da Jansen

A Justiça do Maranhão, desde o ano passado, já havia determinado que o Governo adotasse providências no sentido de resolver problemas detectados na Lagoa da Jansen, um dos mais belos cartões postais de São Luís.

Esta semana, o nível de água na laguna baixou consideravelmente, chamando a atenção de moradores e visitantes não apenas pela degradação do espaço, mas também pela morte de peixes e devido ao mau cheiro exalado.

A Justiça constatou, com base em laudos, que as comportas não estavam funcionando corretamente, o que prejudica a manutenção do equilíbrio ambiental.

Além da resolução da problemática, determinou que o Palácio dos Leões monitorasse o volume de vazão positiva e negativa, além dos parâmetros físicos e químicos da Lagoa.

Como se pode constatar, hoje, nada foi feito nas gestões de Flávio Dino e Carlos Brandão, ambos do PSB.

A Secretaria de Estado da Infraestrutura, em nota divulgada ontem, disse que está monitorando a situação.

“O Governo afirma que, regularmente, realiza a operação de abertura e fechamento da comporta do vertedouro, que permite a comunicação entre a Lagoa da Jansen (laguna) e o mar, dentro dos parâmetros técnicos que proporcionam a renovação da água e oxigenação. Essa operação tem sido responsável pela diminuição do odor que, anteriormente, era característico da Lagoa da Jansen e, também, pelo aumento da quantidade de espécies de peixes que, atualmente, são encontrados por lá. A Sinfra informa que, recentemente, desenvolveu, em conjunto com a Secretaria de Governo (Segov), uma investigação para diagnosticar o problema de dificuldade de manutenção no nível da água da lagoa, tendo em vista que a operação de abertura e fechamento segue sendo realizada corretamente e, apesar disso, há perda de volume muito grande de água. O diagnóstico realizado levou a identificação de diversos problemas estruturais na parte submersa do canal original, que foi construído na década de 70. Já na década de 90, a fim de ampliar o canal original, o Governo, há época, construiu um segundo segmento de canal, que, desde então, não apresentou problemas”.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.