Durante inspeção, deputado diz que ferry José Humberto apresentou fissura no casco

Foto: G1 Maranhão

Representantes do Ministério Público Estadual, Ministério Público Federal, Assembleia Legislativa, Governo do Estado e Capitania dos Portos do Maranhão participaram, na manhã de ontem, de uma inspeção ao ferry-boat José Humberto, trazido do Pará, pela gestão Carlos Brandão (PSB), para reforçar a travessia entre São Luís e a Baixada Maranhense – e vice-versa.

Único parlamentar presente na vistoria, o deputado estadual Wellington do Curso (PSC), em conversa com o editor do Blog nesta manhã, na Assembleia Legislativa, afirmou que detectou uma fissura no casco da embarcação, situação que será avaliada por peritos navais contratados para emitir um novo laudo acerca da liberação, ou não, do ferry para fazer o transporte de passageiros e veículos na baía de São Marcos.

“O que ficou evidente foi uma pressa por parte de representantes da MOB para que essa embarcação seja colocada em funcionamento. Me chamou a atenção, apesar de ser leigo, uma fissura no casco, o que pode ter ocorrido quando esta balsa veio navegando de Belém para São Luís. Outra situação que precisa ser averiguada é o fato desta embarcação ter saído da capital do Pará para a capital maranhense, muito provavelmente, sem ter sido vistoriada. Trata-se de uma embarcação que sempre navegou em rios, o que não é o caso do serviço que ela fará no Maranhão. Ou seja, é um risco coloca-la para fazer o transporte de passageiros e veículos da Ponta da Madeira para o Cujupe”, afirmou informando que a Marinha Brasileira não informou sobre prazo para emissão do laudo da vistoria.

Em uma primeira inspeção, realizada pela Capitania dos Portos no início deste mês, foi atestada uma série de irregularidades na José Humberto.

Após inspeção, autoridades se reuniram na sede da Capitania dos Portos.

Imagens divulgada pelo editor do Blog, na semana passada, revelaram que a embarcação passou por vários reparos na Ilha do Medo, a noroestes de São Luís.

O Senado Federal, vale destacar, aprovou requerimento, de autoria do senador Roberto Rocha (PTB), autorizando a criação de uma comissão externa para inspecionar a prestação do serviço de ferry-boat no Maranhão.

Um pedido de investigação acerca da contratação do José Humberto por parte do Governo também já foi protocolado no Ministério Público Federal.

Sobre a instalação de uma CPI para investigar o referido sistema, Wellington do Curso disse que, até o momento, conta com dez assinaturas – é necessário 14 para que a Comissão Parlamentar de Inquérito seja criada.

“Vamos promover também uma campanha junto à população, aos usuários, para que tenhamos mais força no sentido de instalar a CPI na Assembleia”, finalizou.

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.