PSOL apresenta duas pré-candidaturas ao Governo do Maranhão

Enilton Rodrigues é presidente regional da sigla e Liduina Tavares teve o nome indicado por duas correntes internas.

Faltando pouco mais de seis meses para o pleito que definirá o novo governador do Maranhão, o PSOL, partido do campo da esquerda, apresenta, neste momento, duas pré-candidaturas de filiados que almejam representar a sigla na disputa majoritária.

O presidente do diretório estadual da legenda, Enilton Rodrigues, já está em plena pré-campanha, participando de atos partidários, como o que ocorreu, no último dia 19, quando foi fundada a comissão provisória do PSOL na cidade de Barra do Corda.

“Temos um projeto de crescimento do nosso partido para que esteja cada vez mais presente no meio do povo e suas organizações, queremos um PSOL popular. Para isso, temos feito diversos encontros com lideranças que podem integrar os nossos quadros partidário para a construção do partido em mais municípios e também ter uma chapa de deputados estadual e federal forte nas eleições de 2022, construindo também o dia seguinte a eleição. Nosso campo político defende o campo democrático e popular, para que as conquistas de nosso povo não retroceda nem um milímetro”, afirmou Rodrigues na oportunidade.

No entanto, duas correntes internas do partido – Alternativa Popular/Fortalecer e Ação Popular Socialista – com reconhecimento das demais forças presentes em Plenária Geral dos Encontros Regionais, indicaram a pedagoga Liduina Tavares para também figurar como pré-candidata.

Liduina, de acordo com estas correntes internas, possui longo histórico de lutas em defesa do serviço público e experiência na educação e gestão pública, tendo sido, entre outras funções, vereadora e secretária de educação do município em que reside, Bacabal, um polo central do estado do Maranhão.

A pré-candidata também é poetisa e membra fundadora da Academia Bacabalense de Letras.

“Com formação popular, egressa do Curso Nacional de Fé e Política, a professora Liduina Tavares é uma alternativa à esquerda para as eleições de 2022, que, além de tudo, deve qualificar o debate que definirá o futuro do Maranhão, dando luz aos problemas do povo trabalhador de um estado tão rico natural e culturalmente, mas que possui uma das mais selvagens desigualdades do Brasil”, diz o release encaminhado à imprensa pela assessoria da pré-candidata.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.