Prefeita de Paço do Lumiar escanteia aliados e gera insatisfação

É de extrema insatisfação o sentimento de políticos e servidores do município de Paço do Lumiar, na região metropolitana de São Luís, que ajudaram a reeleger a prefeita Paula da Pindoba (foto), que hoje prefere ser chamada de Paula Azevedo.

Tão logo obteve sucesso nas urnas, ano passado, quando venceu por uma pequena diferença o advogado Fred Campos (PL), a gestora tratou de escantear funcionários da Prefeitura que sempre lhe foram fieis, dando oportunidade para os chamados “forasteiros”, que não participaram da sua campanha e não possuem influência alguma na cidade.

Na maioria dos setores, foram feitas mudanças que tiraram o respaldo que os servidores/aliados possuíam, oferecendo a eles uma espécie de limbo administrativo.

A poderosa Secretaria Municipal de Planejamento e Articulação, por exemplo, passou a ser comandada por Luana Peixoto, ex-mulher do jornalista Marlon Botão, que foi secretário municipal de Cultura na gestão Edivaldo Holanda Júnior (PDT).

Luana foi apelidada pelo funcionalismo de primeira-ministra de Paço do Lumiar. É ela quem determina as principais ordens a serem executadas na gestão.

Seu ex-marido, vale destacar, mesmo sem possuir nenhum tipo de relação com o município, assim como a própria secretária, assumiu a comunicação da Prefeitura.

No campo político, a situação de desprezo por parte da prefeita segue o mesmo caminho.

Integrantes do seu partido, o PC do B, recebem tratamento hostil, situação que já chegou ao conhecimento do deputado federal licenciado, atual secretário de Estado das Cidades e presidente da sigla no Maranhão, Márcio Jerry.

Um exemplo disto foi a escolha do líder do governo na Câmara Municipal.

Paula da Pindoba indicou o vereador Major Roberto, filiado ao Patriotas, partido que apoiou Fred Campos e que é controlado pelo deputado federal Josimar de Maranhãozinho (PL).

De lado, ficou a vereadora Orlete Mafra, do PC do B, segunda mais bem votada no pleito proporcional de 2020.

Recentemente, um deputado federal que se considerava aliado da prefeita também foi desprezado.

Há semanas, o parlamentar, que preside uma legenda que esteve na coligação de Paula, tenta, sem sucesso, falar com a comunista com o objetivo de saber por quais motivos ela exonerou indicados seus.

Políticos que, inclusive, doaram valores para campanha de Paula da Pindoba também estão insatisfeitos com o novo posicionamento da gestora.

Diante deste cenário negativo, políticos e funcionários com poder de liderança já ensaiam um rompimento público com a ex agricultora familiar.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *