“Farei aquilo que o governador e grupo político determinarem”, afirma Felipe Camarão sobre sucessão em São Luís

Um dos técnicos mais destacados e qualificados do atual staff do governador Flávio Dino (PC do B), o secretário de Estado da Educação, Felipe Camarão, concedeu nesta segunda-feira (15), Dia do Professor, entrevista ao programa Repórter Difusora 2ª Edição, da Rádio Difusora FM.

No bate papo, Felipe elencou uma série de avanços obtidos no setor ao longo de quase quatro anos.

Avanços, estes, que dão suporte para que o jovem gestor, em qualquer análise de cenário que se faça, seja citado como possível candidato a sucessão do prefeito Edivaldo Holanda Júnior (PDT), em 2020.

Questionado pelo editor do Blog do Glaucio Ericeira, que divide bancada com o jornalista Robson Júnior, sobre sua possível estreia na política, justamente representando o seu grupo político na disputa pela prefeitura da capital, Felipe, mesmo utilizando de cautela, não tergiversou:

“Neste governo, do governador Flávio Dino, comecei como secretário de Gestão e Previdência. Fui, em seguida, secretário de Cultura, secretário de Governo e, hoje, secretário de Educação e presidente da Fundação da Memória Republicana. Não entrei com pretensão de disputar candidatura. Como não entrei pensando nisso, não faço gestão na Secretaria de Educação visando nenhum tipo de candidatura. É claro que por ser brasileiro, preencher todos os requisitos, estar filiado a um partido político, como qualquer outro cidadão, posso algum dia pleitear uma candidatura. Não é algo que me atraia. Me atrai muito mais ajudar o governador, continuar em sala de aula, como estou, e ajudar as pessoas o máximo que puder. Mas isso [candidatura] é uma coisa que a gente nunca pode fechar a porta. Deus  está no comando. Não penso nisso agora e nem vou pautar meu trabalho daqui para frente pensando nisso”, disse.

“Fico muito feliz por isso [nome ser lembrado para disputa], considero como um reconhecimento. Farei aquilo que o governador e o grupo político determinarem. Mas isso não é assunto para agora, é assunto para depois. Afinal, a gente ainda precisa avançar bastante”, completou.

Felipe filiou-se ao Democratas no fim do ano passado. Sua chegada ao DEM, à época, foi analisada como um indicativo de que o partido poderia colocá-lo como opção para ser o companheiro de chapa de Flávio Dino.

Como é de conhecimento público, Dino repetiu a dobradinha vitoriosa com Carlos Brandão (PRB), vice-governador reeleito.

No entanto, diante do resultado das urnas, que confirmou acentuado fortalecimento do grupo governista, o democrata Felipe Camarão – que, além de técnico qualificado, já mostrou que tem traquejo político – continuará a ser lembrado e citado como potencial candidato à prefeito de São Luís.

Se será, ou não, somente o tempo dirá.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *