Governo seleciona Igreja Evangélica para cargo de técnico penitenciário, denuncia deputado

O deputado estadual Wellington do Curso (PP) denunciou nesta terça-feira (19), na Assembleia Legislativa, um caso, no mínimo, inusitado no Maranhão.

O governo do estado, através da Secretaria de Administração Penitenciária, selecionou a Igreja Assembleia de Deus Comadesma em um processo seletivo aberto para o preenchimento de vagas para o cargo de técnico penitenciário administrativo na cidade de Carolina, no Sul do estado.

O processo seletivo foi realizado nos últimos dois meses para preenchimento de cadastro de reserva da SEAP.

Segundo o parlamentar, ao receber a denúncia, ele próprio averiguou a informação no site oficial da pasta, confirmando a irregularidade.

No edital n° 86/2017 (Processo Seletivo Simplificado) – 1ª Convocação para o Município de Carolina), na segunda página, consta o nome de uma Igreja, com a inscrição de número 0000059652, que aparece como classificada para o referido cargo.

“Como pode aparecer o nome de uma Igreja selecionada para o cargo de técnico penitenciário administrativo na relação de um seletivo do estado? Se a vaga era para pessoa física, como uma pessoa jurídica ganhou a vaga? A vaga reservada é para a Igreja? Qual a explicação para uma Igreja ser convocada para preenchimento da vaga? Além disso, na primeira página do edital de convocação n° 86/2017 encontramos outra irregularidade, que se trata do selecionado com a inscrição de N° 0000062017, identificado apenas com o nome “Alfredo”. Quem é esse Alfredo? Alfredo de quê? Não tem sobrenome? As denúncias são graves e precisam ser esclarecidas pelo governador Flávio Dino”, afirmou Wellington.

Para acessar o edital clique Aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.