Projeto político de Moral da BR dependerá de entendimento do TRE

Josimar pretende sair a federal e que lançar a mulher para substituí-lo na Assembleia.

O projeto político do deputado estadual e presidente do PR no Maranhão, Josimar de Maranhãozinho, poderá depender de um novo entendimento do Tribunal Regional Eleitoral.

O vice-procurador eleitoral substituto, Francisco de Assis Sanseverino, solicitou ao ministro Luiz Fux, do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), que Maranhãozinho, também conhecido como Moral da BR, seja novamente julgado pelo TRE maranhense pelo crime de corrupção eleitoral cometido na eleição de 2012.

À época, Josimar, sentado na cadeira de prefeito de Maranhãozinho, foi acusado de compra de votos para eleger José Auricélio de Moraes Leandro e Raimundo Tarcísio de Lima como prefeito e vice-prefeito da cidade, respectivamente.

Eles chegaram a ser condenados pelo juízo de primeiro grau. No entanto, Maranhãozinho conseguiu anular todas as provas produzidas num processo cautelar preparatório e convenceu a maioria dos membros do TRE de que o arcabouço probatório produzido nos autos mostrou-se frágil e insuficiente para demonstrar a prática do ilícito narrado.

Porém, caso o Tribunal julgue novamente o caso e tenha entendimento diferente, Moral da BR terá que rever seus planos políticos para 2018.

Ele é pré-candidato a deputado federal e pretende lançar a mulher e ex-prefeita de Centro do Guilherme, Maria Deusdete Lima, a Detinha, como sua substituta na Assembleia Legislativa.

Paralelo a isso, o parlamentar responde a uma notícia-crime formulada pelo seu desafeto e deputado federal, Aluísio Mendes (Podemos) – reveja.

Mendes alega que Maranhãozinho falsificou documentos que foram apresentados à Justiça Eleitoral para o registro de sua candidatura na eleição de 2014, oportunidade na qual ele saiu das urnas como o deputado estadual mais bem votado do estado.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.