Em Imperatriz, MP detecta irregularidades em unidades de saúde geridas pela prefeitura e que funcionam com suporte financeiro do estado

O Ministério Público do Maranhão, através da 5ª Promotoria Especializada na Defesa da Saúde de Imperatriz, detectou, durante inspeções realizadas no início deste mês, irregularidades em unidades de saúde que oferecem serviços de leitos de UTI.

Nos Hospitais Municipais de Imperatriz e Infantil, ambos de responsabilidade da gestão do prefeito Assis Ramos (PMDB), foram encontradas, segundo o MP, as situações mais graves.

Dos 10 leitos da UTI infantil, cinco não estão em funcionamento por falta de respiradores, bombas de infusão, monitores, oxímetros e outros equipamentos. Também não estão sendo realizados exames de ecocardiograma.

Já entre os leitos de UTI adulto, de um total de 20, seis não estão em funcionamento, também por falta de equipamentos indispensáveis.

O promotor Newton de Barros Bello Neto recomendou ao prefeito e ao seu secretário municipal de Saúde que tomem medidas imediatas para solucionar as irregularidades e sejam colocados em funcionamento todos os leitos de UTI. Foi dado prazo de 15 dias para que o município apresente informações e documentos sobre as providências adotadas.

Estado – No Hospital das Clínicas, que tem convênio com o governo do estado para que cinco leitos de UTI sejam utilizados pelo Sistema Único de Saúde (SUS), quatro leitos estavam ocupados por pacientes particulares e dois por pacientes do serviço público, existindo três leitos ociosos.

Ao mesmo tempo, a Central de Regulação apontava existência de 17 pacientes na fila por um leito de UTI. De acordo com o Hospital, no entanto, nenhum pedido de internação havia sido recebido até o momento da inspeção.

Foi recomendado ao diretor da unidade de saúde que seja observado o estrito cumprimento do contrato celebrado com o Estado do Maranhão, garantindo a ocupação dos leitos acordados por pacientes do Sistema Único de Saúde. Foi solicitada, ainda, a lista dos pacientes internados pelo SUS no período de janeiro a maio de 2017.

Ao governo do Maranhão foi recomendado que propicie mecanismos de fiscalização dos contratos firmados com hospitais privados em Imperatriz para a utilização de leitos de UTI e requisitadas cópias dos contratos em vigência, no prazo de 15 dias.

Nos Hospitais Macrorregional de Imperatriz (10 leitos de UTI), São Rafael (cinco leitos conveniados com o SUS), Hospital Unimed (20 leitos conveniados) e Hospital Regional Materno Infantil de Imperatriz (35 leitos), o promotor encontrou todos os leitos ocupados e sem nenhuma ocorrência de problema.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.