Marcial Lima alerta que pacientes estão morrendo por falta de vagas para hemodiálise

Em pronunciamento na tribuna da Câmara Municipal, o vereador Marcial Lima (PEN) condenou a precariedade dos centros de hemodiálise do Maranhão. Ele criticou o que chamou de abandono, o esquecimento e a falta de vontade das autoridades públicas locais para tratar os pacientes com insuficiência renal crônica no estado.

“O paciente que precisa fazer hemodiálise, no Maranhão, enfrenta fila do começo ao fim. Enfrenta fila para chegar à capital, enfrenta a falta de apoio das prefeituras, pois muitas delas não dão apoio para o transporte desses doentes, que se deslocam de várias regiões do estado até São Luís”, lamentou Marcial.

O vereador denunciou, ainda, a falta de vagas nos centros de hemodiálise na região metropolitana de São Luís. Citando informação que obteve de um médico lotado em um hospital de emergência, cuja identidade prefere preservar, por ética e respeito, Marcial alertou que, no hospital onde o referido profissional trabalha, há uma fila de 15 pessoas para fazer hemodiálise e não há vaga em nenhum centro. “O paciente que não faz as três sessões semanais de hemodiálise está caminhando para a morte”, advertiu.

Ele sugeriu que a Comissão de Saúde da Câmara Municipal amplie a discussão sobre a falta de vagas para pacientes de hemodiálise, mencionando reportagem exibida pela TV Mirante que mostrou o sofrimento de doentes renais crônicos de Chapadinha que precisam viajar á capital para fazer as sessões.

Revitalização – Marcial também ser pronunciou sobre a importância de revitalizar prédios abandonado e que estão localizados na região do Centro de São Luís.

““Importância de um prédio desse funcionando plenamente no Centro da cidade, com toda a sua estrutura, representa geração de emprego e renda não só para quem trabalha lá, mas a movimentação do Centro da cidade que precisa ter. Estão esquecendo o Centro Histórico de São Luís. Temos prédios que abrigaram a sede do Banco do Estado e a antiga REFFSA na Beira-Mar. Este último, poderia abrigar as secretarias de Cultura, de Turismo e a Func”, disse.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.