Novo secretário nacional da juventude, maranhense responde a processo por enriquecimento ilícito

Assis Filho assumiu a Secretaria por indicação de João Alberto.

A cúpula do PMDB no Maranhão não contabilizou somente elogios com a nomeação do advogado Assis Filho para o cargo de secretário nacional da juventude.

Juntamente com a chamada demonstração de força e prestígio junto ao presidente Michel Temer, vieram à tona alguns detalhes da vida política pregressa de Filho, que substituiu Bruno Júlio no comando do órgão federal – Júlio é aquele que defendeu uma chacina por dia nos presídios do país e que também é investigado por ter agredido a esposa, em Belo Horizonte.

Assis Filho, segundo noticiou o jornalista Lauro Jardim, de O Globo, responde a um processo por enriquecimento ilícito e violação de princípios administrativos, situação que ocorreu quando este foi secretário municipal de Pio XII, cidade onde nasceu e onde também exerceu o cargo de vereador.

O fato, segundo o Ministério Público Estadual, ocorreu na gestão do prefeito Paulo Veloso e foi gerado devido a uma série de irregularidades descobertas, dentre elas pagamento de funcionários fantasmas.

A ida de Filho para a Secretaria Nacional da Juventude foi uma indicação do senador João Alberto.

Antes, ele estava ocupando o cargo de superintendente regional da EBC Nordeste.

Para o seu lugar, Temer nomeou a advogada maranhense Anna Graziella Neiva, ex-secretária da Casa Civil do governo Roseana Sarney.

Assis Filho, só para lembrar, também esteve no primeiro escalão do governo Roseana, onde ocupou o cargo de secretário-adjunto da Juventude.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.