“Faltou espírito público”, afirma Weverton sobre manobra que retirou R$ 90 milhões da saúde

O deputado federal e presidente do PDT no Maranhão, Weverton Rocha, criticou a manobra feita pelos senadores Edison Lobão (PMDB), João Alberto (PMDB) e Roberto Rocha (PSDB) e que resultou no corte de R$ 90 milhões em recursos que deveriam ter sido destinados aos municípios para investimentos em ações no setor da saúde.

No início deste mês (reveja), mais de 100 prefeitos, coordenados pelo presidente da Federação dos Municípios do Estado do Maranhão (FAMEM), Cleomar Tema, estiveram em Brasília e receberam a garantia da bancada maranhense de que os R$ 160 milhões aos quais os parlamentares têm direito, através de emendas impositivas, seriam alocados no orçamento da União para o setor da saúde.

No entanto, o trio senatorial fincou o pé e decidiu não mais cumprir o acordado.

O objetivo foi evitar que o dinheiro fosse distribuído as prefeituras via governo do estado e desta forma, na visão dos senadores, beneficiar politicamente o governador Flávio Dino (PC do B).

Por conta disso, dos R$ 160 milhões, apenas R$ 70 milhões foram destinados para a saúde das cidades – reveja.

“Faltou espírito público. de respeitar o que o povo quer e priorizar as demandas do estado. A saúde no Maranhão será prejudicada”, afirmou Rocho nas suas redes sociais nesta sexta-feira (20).

Abaixo, confira a entrevista de Weverton Rocha à TV Difusora.

Edivaldo entrega insumos a piscicultores da zona rural

Como parte da política de fortalecimento e desenvolvimento da zona rural de São Luís, o prefeito Edivaldo entregou, nesta sexta-feira (20), quatro toneladas de ração de peixe para auxiliar na produção dos piscicultores da capital.

A iniciativa é fruto de parceria celebrada entre a Prefeitura de São Luís e o Governo do Estado. O ato de entrega dos insumos aconteceu na comunidade de Coquilho II, com a presença do secretário estadual de Agricultura e Pesca, Márcio Honaiser, que representou o governador Flávio Dino na cerimônia. A ação vai beneficiar cerca de 100 famílias de agricultores familiares da Ilha.

O prefeito Edivaldo afirmou que a Prefeitura de São Luís tem investido fortemente em políticas públicas visando ao crescimento da zona rural da capital e que o fornecimento desse insumo aos piscicultores locais vem somar a outras iniciativas já implementadas pelo município com esse objetivo.

“Contrariando uma antiga máxima popular, a nossa gestão não dá só o peixe, mas ensina a pescar também. Prova disso são as diversas capacitações que desenvolvemos na área da piscicultura, no sentido de levar aos produtores o conhecimento técnico necessário para o desenvolvimento da sua atividade. De forma que são muitas as ações já desenvolvidas pela Prefeitura para consolidar a agricultura como vetor de desenvolvimento e oportunidades às comunidades da zona rural”, afirmou Edivaldo, que no ato recebeu dos agricultores uma cesta com produtos agrícolas, simbolizando o resultado da produção fruto das sementes entregues pela Prefeitura, nos meses anteriores.

O prefeito acrescentou ainda que os piscicultores familiares de São Luís, cadastrados na Secretaria Municipal de Agricultura, Pesca e Abastecimento (Semapa), participaram, no início desse mês, do curso sobre cultivo do camarão e do sururu, propícios para o Estado. A capacitação foi ministrada pelo engenheiro de pesca especialista em piscicultura, Fernando Bergmann.

Presente no ato de entrega dos insumos aos piscicultores da Ilha, o secretário estadual de Agricultura e Pesca, Márcio Honaiser, destacou a iniciativa como parte de um grande projeto de desenvolvimento da zona rural da capital.

“Temos suprido as necessidade com ações fortes e pontuais, apesar da crise que enfrentamos. Isso tem se consolidado por meio de parcerias muito importantes celebradas entre o município e o estado, como esta aqui, efetivada com a entrega de toneladas de ração para beneficiar a piscicultura local. A entrega do insumo é só uma parte do conjunto de ações que temos realizado conjuntamente para beneficiar a zona rural de São Luís. Além disso, forcemos assistência técnica e capacitações para levar conhecimento e tecnologia de produção, para fazermos a atividade cada vez maior e melhorar”, observou o secretário.

Vídeo: Denunciado à ONU, Flávio Dino mandar demolir “gaiolão” de Barra do Corda

O governador Flávio Dino (PC do B) resolveu agir e determinou a demolição de uma cela a céu aberto, localizada na Delegacia da Polícia Civil do município de Barra do Corda, e que ficou conhecida nacionalmente como “gaiolão”.

Foi no “gaiolão” que o empresário Francisco Edinei Lima Silva, de 43 anos, ficou detido por quase 24 horas, tendo falecido no dia seguinte vítima de um Acidente Vascular Cerebral (AVC) – reveja, reveja e reveja.

O caso ganhou repercussão nacional, mostrando o padrão de qualidade do setor de Segurança Pública gerido pelo também comunista, Jefferson Portela, que é pré-candidato a deputado federal.

A morte do empresário e o tratamento dispensado pela gestão de Dino aos presos da cidade foi denunciado, esta semana, pela deputada estadual Andréa Murad (PMDB) à Organização das Nações Unidas (ONU).

Abaixo, veja o vídeo do trabalho de demolição.

Ricardo Diniz solicita obras de pavimentação no Turu e Residencial Nestor

O vereador Ricardo Diniz (PCdoB) apresentou requerimento na Câmara Municipal pedindo providências à Prefeitura de São Luís, por meio da Secretaria Municipal de Obras e Serviços Públicos, visando a pavimentação asfáltica das Avenidas 10 de Janeiro e Tayson e da Rua 6, no Residencial Nestor.

As vias encontram-se prejudicadas por buracos que desfavorecem a fluidez do trânsito, causando danos aos veículos e prejuízos aos proprietários, além de causar transtornos aos pedestres.

Segundo o vereador, os moradores já solicitaram melhorias várias vezes e estão preocupados com a falta de infraestrutura.

“Esperamos que as obras de asfaltamento do Residencial Nestor sejam incluídas no cronograma, os moradores aguardam ansiosos a chegada do asfalto”, explicou.

Para o bairro Matões, no Turu, Ricardo Diniz solicitou a realização de obras de asfaltamento, desobstrução de bueiros, iluminação pública, limpeza e capina da rua Bom Jesus.

“De acordo com a avaliação das pessoas que residem no bairro, é imprescindível a realização de reparos constantes na rua para permitir um melhor acesso durante o dia e a noite, melhorando assim a qualidade de vida de quem mora na comunidade”, concluiu o vereador.

Bancada garante aos municípios do Maranhão R$ 70 milhões para o setor da saúde

Agora é oficial. A Bancada Maranhense em Brasília, formada por 18 deputados federais e três senadores, garantiu, através de emenda impositiva, R$ 70 milhões em recursos que serão destinados aos municípios, via governo do estado, para execução de ações no setor da saúde em 2018.

Outros R$ 90 milhões, de um total de R$ 160 milhões, serão enviados à Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba (CODEVASF) e execução de outros serviços, tais como manutenção de rodovias federais; construção de um Centro Esportivo e de Convivência na Uema Sul; apoio a UFMA, IFMA e UEMA; revitalização da Rua Grande; ITA; além de investimentos na saúde no Estado e nas cidades de São Luís, Buriticupu e Caxias.

O anúncio foi feito pelo coordenador da Bancada, deputado federal Rubens Pereira Júnior (PC do B), em suas redes sociais e em contato telefônico com o editor do blog.

De acordo com ele, todos os deputados e senadores assinaram a ata que será encaminhada ainda hoje à Comissão Mista de Orçamento.

“Com muito diálogo e pressão popular, foi possível a construção de 20 emendas de bancada que atendem muitos interesses urgentes do Estado do Maranhão. Garantir a inclusão na Lei Orçamentária é uma importante vitória. Mas seguiremos trabalhando na liberação e boa execução destes recursos”, disse o parlamentar.

O valor de R$ 70 milhões para a saúde nos municípios está bem aquém do que foi pleiteado pela Federação dos Municípios do Estado do Maranhão (FAMEM) no início deste mês, em Brasília, durante reunião entre prefeitos, deputados federais e senadores.

Na oportunidade, ficou acertado que o valor total [160 milhões] da emenda impositiva  seria destinado para ações de saúde nas cidades.

No entanto, o movimento municipalista pode considerar como uma vitória a garantia dos R$ 70 milhões.

Afinal, existia um movimento político, que acabou sendo contornado, que previa a destinação de um valor menor.

Leia também:

Senadores não declaram se são favoráveis, ou não, à liberação integral de recursos para saúde

Impasse sobre liberação de 160 milhões para municípios do MA só será resolvido [ou não] nesta sexta-feira

Deputado apresenta projeto que cria Semana Estadual de Combate à Corrupção no MA

O deputado estadual Wellington do Curso (PP) apresentou, na Assembleia Legislativa do Maranhão, o Projeto de Lei Nº 272/2017 que institui no calendário estadual a Semana de Combate a Corrupção no Maranhão.

O texto estipula que, anualmente, as atividades relacionadas ao tema sejam realizadas na semana que incluir o dia 09 de Dezembro, data em que o Brasil e mais 101 países assinaram a Convenção das Nações Unidas contra a Corrupção.

Ao defender a proposta, o deputado Wellington disse que combater a corrupção é garantir direitos como saúde e educação.

“A corrupção é o que tira investimento da educação e da saúde. É por causa da corrupção que falta merenda nas escolas, falta remédio nos hospitais e falta segurança para a nossa população. Em tempos de grandes escândalos, a Semana de Combate a Corrupção é de suma importância para que possamos criar mecanismos de combate a esse mal que assola nosso país”, disse Wellington.

Senadores não declaram se são favoráveis, ou não, à liberação integral de recursos para saúde

Os senadores Edison Lobão (PMDB), João Alberto (PMDB) e Roberto Rocha (PSDB) se pronunciaram acerca do imbróglio (reveja) no qual estão envolvidos referente a liberação, ou não, de R$ 160 milhões, oriundos de emenda de bancada, para o setor da saúde dos municípios maranhenses.

No entanto, as notas e posicionamento dados pelo trio não clareou absolutamente nada sobre o cerne principal da questão.

Ou seja, eles não publicizaram se irão, de fato, assinar a ata que será encaminhada à Comissão Mista de Orçamento autorizando o envio dos recursos, de forma integral, para as prefeituras em 2018.

Os parlamentares garantiram que não querem prejudicar os municípios, mas preferiram utilizar de mais tempo para rebater as acusações feitas contra eles pelo governador Flávio Dino (PC do B) que, ontem, nas suas redes sociais, disse que a não autorização por parte dos senadores trata-se de um complô político para lhe atingir.

Ocorre que os R$ 160 milhões, caso sejam destinados na sua integralidade para o setor da saúde, terão, obrigatoriamente, que ser repassados aos municípios via governo do estado.

A definição acerca da liberação integral dos recursos ocorrerá ainda hoje.

Nota do senador Roberto Rocha

É indigna a posição do governador de tentar indispor a bancada de senadores com os prefeitos do Maranhão.

Afronta o bom senso e degrada as regras básicas da convivência política sugerir que os representantes do Estado na Câmara Alta estejam contra a saúde da população.

As emendas parlamentares, como bem diz o nome, são prerrogativas dos deputados e senadores do Maranhão. Cabe a eles, e somente a eles, decidir o destino das emendas. É grotesco que o chefe do executivo vocifere publicamente como se o recurso estivesse sendo retirado dos cofres estaduais. O que está em discussão é o orçamento da União, e não do Estado. Por acaso, em algum momento o governador convidou deputados federais e senadores para discutir o orçamento estadual?

Hoje mesmo, cumpri extensa agenda iniciada pela manhã em São Paulo, com o governador Geraldo Alckmin, e acertamos sua participação no dia 11/11, em Imperatriz, no nosso Seminário de Revitalização dos Rios Maranhenses e suas Nascentes. Na oportunidade, debateremos a crise hídrica do Rio Tocantins.

Em seguida, com o ministro Bruno Araújo, das Cidades, estive em Buriticupu entregando casas e Imperatriz, onde promovi o encontro do ministro com diversos prefeitos da região, em busca de soluções para os graves problemas que enfrentam os gestores municipais.

Voltei à noite para Brasília exatamente para equacionar, na sexta-feira, a questão das emendas, com diálogo e responsabilidade. Infelizmente fui surpreendido, na volta, pelo destempero incivilizado e orquestrado entre o Governo e a mídia de aluguel, com o propósito de desqualificar quem, com muito esforço, dedica-se à honrosa missão de representar o Estado.

Faço política aproximando pessoas, estreitando a distância entre os problemas e suas soluções. Com gestos e ações efetivas, e não com fanfarras retóricas para intrigar a população com seus representantes.

Nota do senador Edison Lobão

O Governador Flávio Dino mente ao dizer que os senadores do Maranhão têm a intenção de prejudicar os municípios do estado negando-lhes recursos para a saúde pública.

Os parlamentares não arrecadam recursos, nem são gestores de tais meios financeiros. Os deputados e senadores pedem, solicitam, subscrevem as chamadas emendas parlamentares demonstrando total interesse no sentido de ajudar os municípios.

A responsabilidade real de resolver os problemas de saúde pública, de saneamento, de rodovias é, isto sim, do governo do estado e supletivamente do governo federal e dos próprios municípios, infelizmente estes enfrentando graves dificuldades neste momento.

Já em anos anteriores não recusei solidariedade ao governo Flávio Dino, assinando emendas que lhe favoreciam.

Acho que o governador empregaria melhor o seu tempo cuidando dos interesses legítimos do povo em vez de dedicar-se com tanto ardor à promoção de selvagens lutas políticas.

O que se trata nesta fase é de recursos federais. Pois que sejam destinados pelo governo federal à saúde e a outras políticas públicas através dos seus ministérios.

O resto é falatório irresponsável.

Op. Luz na Infância: Polícia prende em São Luís e Rosário três acusados de exploração sexual contra crianças

A Polícia Civil do Maranhão, com o apoio da Secretaria Nacional de Segurança Pública e Ministério da Justiça, prendeu nesta sexta-feira (20), nos municípios de São Luís e Rosário, três homens acusados de crimes de exploração sexual contra crianças.

As prisões são resultados da Operação “Luz na Infância”, deflagrada em 24 estados com o objetivo de coibir este tipo de delito.

Na capital maranhense, foram presos Oziel Franklin Estrela Gomes e Alessandro Saraiva Soeiro. Em Rosário, foi detido José Carlos Mesquita de Oliveira.

Com os acusados, foi apreendido farto material de armazenamento de arquivos de pornografia infantil.

Os alvos da Operação “Luz na Infância” foram identificados através de um levantamento de informações feito pela Senasp e Embaixada dos Estados Unidos da América no Brasil.

Com base em informações e evidências coletadas em ambientes virtuais, a Polícia Civil instaurou inquérito e representou pela busca e apreensão junto ao Poder Judiciário, visando apreender computadores e dispositivos informáticos onde estão armazenados os conteúdos de pedofilia, indiciar e prender os criminosos.

No Maranhão, as investigações foram promovidas pela Superintendência Estadual de Investigação Criminal (SEIC).

A Operação foi intitulada “Luz na Infância” por serem bárbaros e nefastos os crimes contra a dignidade sexual de crianças e adolescentes.

Ricardo Murad assume comando do PRP no Maranhão

O ex-deputado e ex-secretário estadual de Saúde, Ricardo Murad, deixou o PMDB e se filiou, nesta sexta-feira (20), ao Partido Republicano Progressista (PRP).

Murad assumiu o comando do diretório estadual da sigla, uma vez que o presidente, o ex-vereador Severino Sales, abdicou do cargo para dedicar-se à função de vice-presidente da executiva nacional e coordenar as candidaturas ao Congresso Nacional na região Nordeste.

Ricardo Murad reaparece no cenário político com o objetivo de organizar o partido para as eleições do ano que vem no Maranhão.

A nota divulgada pelo PRP não informa que se ele será, ou não, candidato a algum cargo em 2018.

O próprio ex-deputado também ainda não se pronunciou oficialmente sobre o assunto.

O certo é que o ex-deputado e ex-secretário de Saúde, que é pai da deputada estadual Andréa Murad (PMDB), líder da Oposição na Assembleia Legislativa, reforçará o movimento político contra a reeleição do governador Flávio Dino (PC do B).

Impasse sobre liberação de 160 milhões para municípios do MA só será resolvido [ou não] nesta sexta-feira

Em Brasília, no início deste mês, prefeitos receberam a garantia da destinação dos recursos.

Os deputados federais e senadores maranhenses têm até o início da noite desta sexta-feira (20) para resolver o impasse político envolvendo a liberação de R$ 160 milhões, oriundos de recursos de emenda de bancada, para os 217 municípios do estado em 2018.

No início deste mês, centenas de prefeitos e prefeitas, coordenados pelo presidente da Federação dos Municípios do Estado do Maranhão (FAMEM), Cleomar Tema, estiveram na capital federal pleiteando junto aos parlamentares a destinação exclusiva destes recursos para o setor da saúde.

A proposta da Federação foi aprovada em reunião realizada na Câmara Federal, tendo sido classificada como um marco na história política e municipalista do Maranhão.

Para que os recursos estejam, de fato, assegurados são necessárias assinaturas de 14 dos 18 deputados federais; e de dois dos três senadores.

Até o fim da tarde desta quinta-feira (19), 17 parlamentares – Rubens Pereira Júnior, Weverton Rocha, Cleber Verde, André Fufuca, Waldir Maranhão, Luana Alves, Júnior Marreca, Victor Mendes, Eliziane Gama, Hildo Rocha, Aluísio Mendes, Juscelino Filho, Zé Carlos, José Reinaldo Tavares, Pedro Fernandes, Julião Amin e Sarney Filho (os dois últimos estão licenciados temporariamente de suas atividades nos governos do estado e federal e estão no exercício do mandato) – haviam assinado ou se comprometido em assinar a ata que deve ser encaminhada à Comissão Mista de Orçamento.

Senadores estariam defendendo a proposta de 50% para saúde e 50% para CODEVASF.

Apenas o deputado João Marcelo, do PMDB, não confirmou se autorizará, ou não, a liberação dos recursos para os municípios maranhenses.

Já entre os senadores, a situação é mais complicada. João Alberto (PMDB), Roberto Rocha (PSDB) e Edison Lobão (PMDB) ainda não se posicionaram oficialmente sobre o assunto.

De acordo com fontes do editor do blog em Brasília, eles defendem a liberação de apenas R$ 80 milhões para as prefeituras. O restante seria destinado à Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba (CODEVASF).

Trata-se de um jogo político com o objetivo de evitar que os recursos de emenda cheguem aos municípios via governo do estado.

A proposta senatorial, é importante destacar, foi rechaçada pela maioria ampla dos deputados federais.

Nesta sexta-feira, Edison Lobão deverá reunir-se com o coordenador da Bancada, deputado Rubens Pereira Júnior (PC do B), com o objetivo de chegar a um denominador comum.

Pré-candidato à reeleição, Lobão estaria preocupado com a repercussão negativa que o caso ganhou. O senador João Alberto também deverá participar do encontro.

Já sobre Roberto Rocha, que é pré-candidato ao governo do estado, a informação que se tem é de que o mesmo mantém-se irredutível e defendendo a divisão de 50% para saúde e 50% para CODEVASF.

Vale ressaltar que o editor do blog enviou aos três senadores solicitação de nota pedindo um posicionamento acerca do tema.

O certo é que a definição sobre o assunto “160 milhões para a saúde das cidades do Maranhão” só ocorrerá amanhã.

E prefeitos e prefeitas de todas as regiões do estado estarão acompanhando ansiosos [e prontos para dar as respostas convenientes na eleição do próximo ano].