Na política, Braide, é preciso ter coragem para manter posição

O deputado estadual Eduardo Braide (PMN) é, sem dúvida, um dos melhores quadros do parlamento maranhense. E dispõe de todas as ferramentas, caso realmente queira, para construir um futuro político promissor.

Porém, este futuro pode não se concretizar, caso o jovem parlamentar não coloque em prática algumas regras básicas do manual da política.

Eduardo Braide ganhou notoriedade no estado em 2016, quando conseguiu chegar ao segundo turno das eleições municipais de São Luís.

Acabou perdendo para o atual prefeito Edivaldo Holanda Júnior (PDT) após mostrar-se refém dos seus próprios erros.

Imaginando ser um fenômeno eleitoral “tipo” Tiririca, Braide esnobou, à época, a classe política, começando pelos seus pares na Assembleia Legislativa.

Fechou-se em copas e não quis dialogar com ninguém. Não se deu ao trabalho de, sequer, separar os bons dos ruins no sentido de estabelecer um debate proveitoso em favor da cidade.

Aproveitando o recall do pleito na capital, elegeu-se, este ano, deputado federal com a segunda maior votação do Maranhão.

No entanto, Braide continua errando e, esta semana, deu mais uma prova neste sentido.

O parlamentar, que já foi aliado de primeira hora do governador Flávio Dino (PC do B), no afã de criticar o comunista e obter dividendos políticos, iniciou, na segunda-feira, uma campanha contra o projeto de lei nº 239/18, de autoria do Palácio dos Leões.

Para Braide, a proposta tratava-se de um “Pacote de Maldades” que elevaria impostos e prejudicaria o cidadão.

Mas o deputado recuou da sua posição. Na quarta-feira, quando a matéria foi aprovada pela maioria do plenário, Eduardo Braide simplesmente se absteve de votá-la.

E justificou afirmando que a mesma possuía alguns pontos positivos, como a criação do Cheque Cesta Básica e a redução de impostos para micro empresários.

Ou seja, preferiu não “entrar em bola dividida” temendo represálias da própria sociedade.

Na política, Braide, é preciso ter posição. E é ainda mais importante ter coragem para mantê-la.

Uma ideia sobre “Na política, Braide, é preciso ter coragem para manter posição

  1. Pingback: Vídeo: Eduardo Braide explica abstenção - Blog do Gláucio EriceiraBlog do Gláucio Ericeira

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *