Rebelo defende união das esquerdas e até proximidade com partidos do centro

Pré-candidato do Solidariedade ao Palácio do Planalto, o ex-deputado federal Aldo Rebelo defendeu ontem, durante entrevista concedida aos jornalistas Glaucio Ericeira e Robson Júnior, no programa Repórter Difusora Segunda Edição, da Rádio Difusora FM, a união dos partidos do campo da esquerda com o objetivo de construir um projeto sólido que possa obter êxito no pleito presidencial deste ano.

A avaliação do pré-candidato assemelha-se ao que foi defendido recentemente pelo governador Flávio Dino (PC do B), que trabalhou com a realidade, na qual o ex-presidente Lula (PT) se mostra impedido de concorrer, e propôs um pacto de apoio ao candidato do seu campo político melhor colocado nas pesquisas de intenção de voto.

De acordo com Rebelo, o Brasil passa por um momento de divisão, o que prejudica o sucesso de qualquer tipo de projeto político.

Além das siglas da esquerda, como o seu Solidariedade, PC do B, PT, PDT, PSOL e PSB, por exemplo, ele defendeu, ainda, que os chamados partidos de centro também sejam instados a participar desta união.

“Defendo a união e não a divisão política. Entendo perfeitamente o que o governador Flávio quis dizer quando defendeu a união da esquerda em torno de um nome melhor colocado nas pesquisas. O apoio do PT ao presidente Lula é louvável. Também acho que o mesmo foi injustiçado. Porém, a realidade está posta e mostra que nós, do campo da esquerda, precisamos nos unir e também buscar um entendimento com partidos do centro que tem projeto desenvolvimentista para o país”, disse.

Aldo Rebelo afirmou que, neste momento, não trabalha com a possibilidade de abdicar do seu projeto para apoiar um outro nome.

“Neste momento, estamos fortalecendo a pré-candidatura do Solidariedade. Iniciamos nossa pré-campanha por São Luís e iremos percorrer outras regiões do país colhendo sugestões e apresentando nosso nome como alternativa para modificar a realidade na qual estamos vivendo”.

Sobre a desistência do ex-ministro do STF, Joaquim Barbosa, do PSB, de entrar na disputa presidencial, ele disse não ter ficado muito surpreso.

“Deixei o PSB, no início do ano, justamente por não concordar com a entrada dele [Barbosa]. Não foi nada pessoal. Porém, tratava-se de uma incógnita, cuja resposta foi dada recentemente [com a sua desistência]”.

Apoio a Dino – Aldo Rebelo participou do bate-papo acompanhado do presidente estadual do Solidariedade e pré-candidato a deputado federal, Simplício Araújo.

Ambos ratificaram apoio do SD à reeleição de Flávio Dino.

Araújo, inclusive, deixou claro que a meta do partido no Maranhão é eleger dois deputados federais e uma bancada de pelo menos três deputados estaduais.

Rebelo lança oficialmente sua pré-candidatura à Presidência em evento que acontece nesta manhã, no Rio Poty Hotel, no bairro da Ponta D ´Areia, em São Luís.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *