Delegada rebate críticas de Flávio Dino, que volta a sugerir uso político da PF

Empossada ontem no cargo de superintendente da Polícia Federal no Maranhão, a delegada Cassandra Parazi rebateu as constantes críticas feitas pelo governador Flávio Dino (PC do B) ao trabalho da PF no bojo da Operação Pegadores, que desarticulou um esquema criminoso instalado no setor da saúde, a partir de 2015 – primeiro ano da gestão do comunista — e que teria desviado cerca de R$ 18 milhões dos cofres públicos.

Para a delegada, a reação de Dino e de alguns dos seus aliados não tem sentido, uma vez que o fato da apuração ter atingido membros da gestão comunista tem relação apenas com as ações praticadas por cada um dos acusados.

“Nós chegamos a pessoas e a determinadas funções de governo, posições de destaque, por conta dos fatos em que as pessoas estão envolvidas. Nós apuramos fatos, se as pessoas praticaram crimes, infelizmente elas vão responder pelos fatos”, disse acrescentando que foi o próprio Ministério Público Federal quem solicitou à investigação por parte da PF.

Como não poderia ser diferente, Flávio Dino, após as declarações de Cassandra Parazi, retornou as suas redes sociais, nesta quarta-feira (13), para tentar, mais uma vez, politizar o caso, chegando a afirmar que um dos delegados envolvidos nas investigações “inventou” um dossiê falso contendo a lista dos 400 funcionários fantasmas na rede estadual de saúde.

Lista, esta, que, de acordo com o próprio secretário Carlos Lula, já foi enviada a SES – reveja.

Com informações de O Estado

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *